20 setembro, 2008

Casamento entre homossexuais

Desde já esclareço a minha posição sobre o casamento entre homossexuais: é-me indiferente. Aliás, nunca pensei que perdesse sequer cinco minutos da minha vida a falar deste tema, mas já que está tão em voga, vamos a isto.

Desde logo, casamento homossexual é semanticamente incorrecto. Não que isso seja grande problema: aproveita-se o acordo ortográfico para alterar o significado de casamento nos dicionários.

Questão seguinte. Se um casal homossexual receber o estatuto de casado, passa a estar em igualdade de direitos com qualquer outro casal heterossexual. Inclusivamente na adopção de crianças. E nesta questão, as opiniões já não são tão consensuais e favoráveis aos homossexuais quanto isso. Nem sequer se pode colocar a prioridade de adopção aos casais heterossexuais, dado que o estatuto jurídico é idêntico (entre casais hetero e homossexuais).

Depois vejamos os fundamentos da proposta: ela enuncia que duas pessoas, maiores de idade, que gostem uma da outra, podem casar. Igualdade de direitos, dizem. Muito bem. Mas em que medida é que essa igualdade de direitos se pode aplicar, por exemplo, a casais incestuosos? O casamento entre homossexuais passa a ser permitido, e o casamento entre irmãos, ou até entre filhos e pais é proibido? Como pode tal acontecer se o fundamento é o mesmo? São duas pessoas adultas, maiores de idade, que gostam uma da outra, e que se querem casar. Porque terão de ser discriminadas em relação aos homossexuais? Por isso a minha posição é esta: ou se vai a favor das duas situações (casamentos homossexuais e casamentos "incestuosos") ou se vai contra as duas. Ficar no meio-termo é hipócrita e discriminatório.

4 Pensamentos:

Blogger Spicka disse:

Meu caro,

Comparar um casamento entre duas pessoas do mesmo sexo com um casamento incestuoso é que é hipócrita, perdoe-me a franqueza.

Já agora lembre-se que, se um homem homossexual se quiser casar com uma mulher homossexual, neste momento, já o pode fazer. Daí a falácia de falarmos erradamente em "casamento homossexual" ao invés de — muito mais correcto — casamento civil.

26 setembro, 2008 22:08  
Blogger Riot disse:

Só será hipócrita aos olhos de alguns. Porque a situação pode perfeitamente ser equiparada. Uma é, tendencialmente, aceite, a outra não. O argumento da igualdade de direitos é válido para os dois casos. Há 50 anos ninguém supunha a existência de casamentos entre homossexuais. Se calhar daqui a 50 anos estar-se-á a defender, com legitimidade, o casamento incestuoso.

De facto o "casamento entre homossexuais" já é possível de acontecer, se se registar a situação que mencionou. Bem observado. Isto de brincar com as palavras tem que se lhe diga. :)

Em conclusão digo-lhe que não me oponho, de todo, ao casamento entre homossexuais (para o efeito, entre dois homens ou duas mulheres). Oponho-me, isso sim, a alguns dos argumentos utilizados. Sobretudo o facto de eu achar que o casamento serve para unir duas pessoas que gostam uma da outra, e nem tanto para terem "estatutos jurídicos equiparados".

27 setembro, 2008 17:28  
Anonymous Anónimo disse:

Confesso que nunca tinha pensado dessa forma, quanto a igualdade de direitos de um casamento incestuoso e de um casamento homossexual! Bem pensado! Se a igualdade de direitos se aplica, há que aplicar-se a todos, tendo como base, é claro, o princípio de que "duas pessoas que se gostam querem ficar juntas"!

Sendo que um poderá vir a ser aceite no nosso país e o outro, se calhar só daqui a 50 anos mesmo ;)

Queria ainda só manifestar a minha opinião, dizendo que sou completamente a favor do casamento entre homossexuais.

Pondo, no entanto, de parte a questão de igualdade do direito a adopção!

29 setembro, 2008 12:02  
Blogger Pedro disse:

Que observação e comparação mais estúpida. De facto perdeu 5 minutos do seu precioso tempo e conseguiu dizer tanta baboseira. Dispensável.

Já agora explique-me, se conseguir, porque é que um casamento entre um homem e uma mulher, é semanticamente correcto.

09 outubro, 2008 17:59  

Enviar um comentário

<< Home